Auxílio Brasil (novo Bolsa Família) pode estar ameaçado? Entenda

PEC dos precatórios, que viabilizaria parte do Auxílio Brasil, ainda não foi votada no Congresso. Demora gera preocupação no governo federal.

Recentemente, o governo federal anunciou o Auxílio Brasil, programa de transferência de renda que substituirá o Bolsa Família. No entanto, durante o anúncio, muitas informações não ficaram claras, principalmente sobre a origem dos recursos. Agora, teme-se que o Auxílio Brasil possa estar ameaçado.

Vale lembrar que, segundo o ministro da Cidadania, João Roma, a previsão é de que o Auxílio Brasil tenha um reajuste de 20% em relação ao Bolsa Família. Além disso, haverá pagamentos de parcelas extras que devem totalizar um benefício de cerca de R$ 400 aos inscritos.

Auxílio Brasil ameaçado

Uma das expectativas do governo federal é a de que parte dos recursos do Auxílio Brasil venha do adiamento dos precatórios, dívidas que a União possui. No caso, seria necessário aprovar no Congresso a PEC dos precatórios, que autoriza o adiamento dos pagamentos.

No entanto, a medida vem sofrendo entraves, principalmente do mercado financeiro. Com isso, muitos deputados e senadores estão receosos de votarem a questão. A votação já chegou a ser adiada uma vez, o que ameaça o Auxílio Brasil de ser viável e gera preocupação no governo federal.

Em entrevista ao portal G1, o ministro da Cidadania se disse preocupado com o andamento da matéria no Congresso. Segundo ele, é necessário que a PEC dos precatórios seja aprovada o quanto antes, pois o tempo estaria se esgotando.

“O nosso apelo é para que até a segunda semana de novembro essa medida possa ser aprovada, porque, senão, terão dificuldades operacionais inclusive para fazer chegar o recurso a essa população”, disse ao G1.

Vale lembrar que o adiamento da votação foi feito por Arthur Lira (PP – AL), presidente da Câmara e aliado do governo. A preocupação de Lira é que, no momento, não teriam votos suficientes para a medida passar, sendo necessárias mais conversas com parlamentares indecisos.

Leia também

você pode gostar também