Abono salarial PIS/Pasep tem novo valor previsto para 2022; veja estimativa

Reajuste no valor do abono salarial PIS/Pasep para 2022 deve seguir o índice calculado sobre o salário mínimo. Economia calcula aumento de 8,4%.

O abono salarial PIS/Pasep, assim como outros benefícios do governo, é baseado no salário mínimo e deve ter um novo valor para 2022. O reajuste deve ser feito com base na inflação de 2021 que, até agora, foi calculada em 8,4%.

Entretanto, é preciso ressaltar que essa é apenas uma estimativa do Ministério da Economia. A mudança nos valores só será confirmada no próximo mês de janeiro, uma vez que o índice de inflação só será fechado no fim deste ano.

Novo valor do abono salarial PIS/Pasep 2022

Esse benefício é pago anualmente de acordo com o tempo de trabalho do cidadão, com carteira assinada, no ano anterior. O teto do abono salarial PIS/Pasep é equivalente a um salário mínimo. Atualmente, ele está em R$ 1.100,00.

Com um aumento de 8,4%, esse valor deve subir para R$ 1.192,40. A quantia máxima é paga para quem trabalhou durante 12 meses. O período mínimo considerado é de 30 dias, que equivale a 1/12 do total (R$ 99,37). Sendo assim, o valor do abono salarial PIS/Pasep 2022 deve ser de:

  • Um mês: R$ 99,37;
  • Dois meses: R$ 198,73;
  • Três meses: R$ 298,10;
  • Quatro meses: R$ 397,47;
  • Cinco meses: R$ 496,83;
  • Seis meses: R$ 596,20;
  • Sete meses: R$ 695,57;
  • Oito meses: R$ 794,93;
  • Nove meses: R$ 894,30;
  • 10 meses: R$ 993,67;
  • 11 meses: R$ 1.093,03;
  • 12 meses: R$ 1.192,40.

Orçamento de R$ 21 bilhões para o abono

O governo calculou que os gastos com o abono salarial PIS/Pasep em 2022 serão em torno de R$ 21 bilhões, por causa do reajuste no benefício. Essa quantia deverá ser distribuída entre 23 milhões de trabalhadores. O número é ainda maior que o de 2021, em que R$ 17 bilhões foram repartidos entre 22,2 milhões de pessoas.

Além do novo valor do abono, é possível que o governo faça pagamento em dobro. Isso porque as transferências relativas a 2020, que deveriam ter começado a ser feitas em junho deste ano, foram adiadas. Sendo assim, em 2022 podem ser feitos os depósitos de 2020 e de 2021. Mas essa informação ainda não foi confirmada pelo governo.

Leia também

você pode gostar também

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Ler mais