Novas parcelas do auxílio podem ser aprovadas; como fazer inscrição para receber?

Sem novo Bolsa Família, o governo está cogitando outra prorrogação do auxílio emergencial. Mas, afinal, haverá abertura de inscrições?

O governo está buscando meios para aprovar um novo programa de transferência de renda, conhecido como Auxílio Brasil. Para que isso ocorra, as Casas Legislativas devem entrar em comum acordo sobre o financiamento do benefício. Até porque a ideia será de substituir o Bolsa Família, com parcelas de R$ 300 ao mês. Enquanto o novo programa não sai do papel, o governo parece estar cogitando novas parcelas do auxílio emergencial.

Ou seja, a conversa sobre uma nova prorrogação entrou na pauta da equipe econômica. O presidente Jair Bolsonaro, na última terça-feira (28/09), chegou a mencionar que o país tem condições de oferecer suporte aos necessitados por mais tempo.

O seu discurso acabou criando a expectativa para concessão de mais parcelas, tendo em vista que o auxílio emergencial está previsto para terminar em outubro de 2021. De acordo com apurações feitas pelo Valor Econômico, o governo estuda a hipótese de prorrogar os pagamento até o mês de abril de 2022.

O auxílio emergencial, atualmente, paga o valor médio de R$ 250 para os beneficiários. Por outro lado, as mães chefes de família recebem R$ 375, enquanto os que moram sozinhos têm direito a R$ 150 ao mês.

Novas inscrições para o auxílio emergencial?

O governo federal pode aprovar, em breve, novas parcelas do auxílio emergencial. Isso significa que haverá abertura de inscrições para receber o benefício? Ainda não existem informações oficiais a respeito do assunto. O tema deverá ser abordado em nova medida provisória do governo, confirmando ou não a abertura de novos cadastros. Se o governo continuar seguindo a tendência do programa, não será possível fazer parte da lista de beneficiários.

Até porque, na última prorrogação, não houve abertura de prazo para novas inscrições do auxílio emergencial. A Dataprev ficou responsável por avaliar os cadastros antigos do programa, no sentido de verificar quem ainda tinha direito aos repasses (considerando os requisitos e exigências mínimas). Ou seja, as parcelas somente foram concedidas aos beneficiários que já haviam recebido os pagamentos em dezembro de 2020.

Com o alto nível de desemprego em 2021, algumas pessoas acabaram ficando sem acesso aos pagamentos devido a isso. O governo pretende manter o suporte financeiro para pessoas de baixa renda, mas o alcance poderá continuar limitado sem a abertura de novas inscrições para receber as parcelas do auxílio emergencial.

Novas informações, como anúncio das mais parcelas e calendário de pagamentos, podem ser divulgadas ao longo das próximas semanas. Tudo dependerá das articulações internas entre a equipe econômica, ministro Paulo Guedes, Casas Legislativas, presidente Jair Bolsonaro e ministro João Roma.

Leia também

você pode gostar também

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Ler mais