9 erros comuns de língua portuguesa que você provavelmente já cometeu

Conheça os nove erros comuns da língua portuguesa que você muito provavelmente já cometeu e acerte em cheio nas provas.

A língua portuguesa é considerada uma das mais complicadas de se aprender, segundo os especialistas nesse idioma. Muitas vezes, pequenos detalhes como o uso incorreto da vírgula pode mudar o sentido inteiro de uma frase. Por isso, selecionamos nove erros comuns da língua portuguesa que você provavelmente deve ter cometido por aí. Preparado para aprender de verdade? Então, continue a leitura.

Veja os erros de português mais comuns

1) “Mal” ou “mau”

Um dos erros comuns da língua portuguesa que quase todo mundo já cometeu é esse. “Mau” é o oposto de “bom”, enquanto “mal” é o contrário de “bem”.

Na dúvida sobre qual usar na hora da redação do concurso, basta substituir o advérbio na frase pelo seu oposto e observar qual deles faz mais sentido.

Exemplos:

  • Eu estou de bom humor hoje. / Eu estou de mau humor hoje.
  • Maria estava mal-humorada ontem. / Maria estava bem-humorada ontem.

2) “Para mim” ou “para eu”

Esse também é um dos erros comuns da língua portuguesa que ainda deixa muita gente com aquele ponto de interrogação na cabeça. Mas saiba que ambas as formas estão certas e podem ser usadas. Para distingui-las, basta reparar na frase: se você vai dar prosseguimento usando um verbo, deve-se sempre utilizar “para eu”.

Exemplos:

  • Roberto pediu para eu viajar com a irmã dele.
  • Sheila trouxe um presente para mim.

3) “A” ou “Há”

Se você sempre teve dúvidas a respeito dessa questão, nunca mais vai errar novamente. Usa-se o “a” quando a expressão se referir ao futuro; mas quando ela remeter ao passado, aí deve-se usar o “há”. Essa foi moleza, certo?

Exemplos:

  • Eu me casei 15 anos.
  • Marcelo vai se formar na faculdade daqui a dois anos.

4) “Tem” ou têm”

Ambas as formas são derivações da conjugação do verbo “ter” no tempo presente. Para você nunca mais cometer um dos erros comuns da língua portuguesa, basta lembrar-se de que “tem” deve sempre ser usado no singular, e “têm” quando o sujeito do verbo “ter” estiver no plural.

Exemplos:

  • Esse homem tem uma arrogância fora do comum.
  • As pessoas têm medo de animais selvagens.

5) “Imprimido” ou “impresso”

Outro dos erros comuns da língua portuguesa que você não vai cometer novamente, depois da nossa explicação. A regra aqui é bastante simples: quando estiver usando os verbos “ser” e “estar”, deve-se usar “impresso”. Já com os verbos “ter” e “haver”, pode-se usar “imprimido”.

Exemplo:

  • O formulário para a reunião de pauta já foi impresso para os jornalistas.
  • Quando cheguei no Fórum, percebi que tinha imprimido a certidão negativa errada.

6) “Aquele” com ou sem crase

Esse tipo de dúvida a respeito da língua portuguesa é mais comum do que se imagina. Em vez de escrever “a aquele”, “a aqueles”, “a aquela”, “a aquelas” e “a aquilo”, o nosso idioma permite que se use “àquele”, “àqueles”, “àquela”, “àquelas” e “àquilo”. Observe abaixo para ficar mais claro:

Exemplos:

  • Pedro deu o seu número de telefone àquela moça.
  • Maria entregou as chaves àquele rapaz.

7) “Através de” ou “por meio de”

Mais um dos erros comuns da língua portuguesa que deixa muito concurseiro com a pulga atrás da orelha. Acontece que algumas gramáticas pregam que “através de” transmitiria a ideia de atravessar, já a expressão “por meio de” mostraria o instrumento que foi usado para realizar uma determinada ação. Difícil de entender? Veja abaixo:

Exemplo:

  • Através da janela posso ver meus pais dançando na sala.
  • É por meio do meu professor de inglês que estou conseguindo aprender esse idioma.

Ressaltamos que alguns dicionários já aceitam ambas as formas, afinal, na maioria das vezes, o que importa mesmo é a compreensão do sentido da frase.

8) “Senão” ou “se não”

Esse é um dos erros comuns da língua portuguesa que a maioria das pessoas já cometeu. “Senão” tem o mesmo sentido da expressão “caso contrário”, já “se não” impõe uma condição à frase. Agora você não vai errar nunca mais, concurseiro.

Exemplos:

  • Se não formos para a festa agora, não vou querer ir mais.
  • Vamos tentar consertar o ventilador dessa forma, senão tentaremos de outra maneira.

9) “Perca” ou “perda”

Esse também é um dos principais erros da língua portuguesa que deixa muitos concurseiros em dúvida. “Perca” é uma das maneiras de conjugação do verbo perder, já “perda” é um substantivo que indica o oposto de “ganho”. Não perca tempo e veja abaixo:

Exemplos:

  • Que eu perca todas as minhas habilidades, menos a paciência com os outros. Afinal de contas, essa seria uma perda lamentável.
  • Perca o seu tempo da forma que preferir.
  • Estudar nunca foi uma perda de tempo, na minha opinião.

Agora que você conheceu os nove erros comuns da língua portuguesa, lembre-se dos nossos valiosos exemplos na hora da prova de redação do concurso e aumente as suas chances de aprovação. Boa sorte.

Leia também

você pode gostar também